Coito Interrompido – Chances de Engravidar, É Seguro? Período Fértil

coito-interrompido

Um dos mais antigos métodos contraceptivos naturais volta a ser evidência nos tempos atuais. Algumas pesquisas mostram que 60% das mulheres já utilizaram essa forma de contracepção e voltariam a utilizar novamente.

A maioria dessas mulheres consultadas informam que o coito interrompido permite um sexo mais prazeroso, sem interferências físicas como o preservativo e principalmente sem encher o organismo de hormônios.

Mas, será que o coito interrompido é seguro? Nesse artigo, você vai saber tudo sobre esse método alvo de muitas críticas e polêmicas. Continue lendo.

O que é o coito interrompido?

O coito interrompido se caracteriza pela ação de tirar o pênis fora da vagina antes da ejaculação. Geralmente, esse método é utilizado por homens e mulheres que não querem filhos naquele momento e não fazem uso de nenhuma outra forma de prevenção contraceptiva.

Coito interrompido – Eficácia

Coito interrompido pode engravidar? Com certeza que sim. Alias não existe nenhum método 100%, todos possuem riscos. Nesse caso, existem aproximadamente 5% de chances de falha, isso porque depende muito do autocontrole do homem que pode ejacular antes da retirada.

Outro fator importante é que na pré ejaculação o pênis já pode carregar espermatozoides na secreção lubrificante, embora, alguns estudos desmentem essa afirmação e ainda não existe nenhuma comprovação científica sobre isso.

O que pode acontecer é o casal ter mais de uma relação sexual em um mesmo momento e o homem carregar no canal da uretra os espermatozoides do ato anterior, por isso, é importante que ele urine a cada ejaculação para eliminar essa possibilidade.

Os riscos de falha existem, no entanto, há relatos que muitos casais utilizam esse método de forma segura, mas sempre tendo os cuidados necessários, principalmente com relação ao período fértil.

Coito interrompido no período fértil                 

Esse método pode ser uma ótima opção para mulheres que possuem o ciclo menstrual regulado, dessa forma, ela consegue aliar a tabelinha, que é um controle do período fértil para saber quando a mulher está ovulando. Mas, para dar certo, é preciso de uma controle bem efetivo.

No período fértil, a mulher está ovulando, é nele que a gravidez pode acontecer, portanto, os riscos de usar o coito interrompido são maiores, já que depende do homem ejacular fora da vagina.

O período fértil ocorre na metade do ciclo menstrual da mulher. Em algumas, é possível notar alguns sintomas como aumento de temperatura, muco cervical tipo clara de ovo e o aumento do desejo sexual.

Coito interrompido- Vantagens e desvantagens

É possível engravidar com o coito interrompido, por isso, é preciso ficar atenta as  vantagens e desvantagens desse método. Confira:

Vantagens

  • Uma das maiores vantagens do coito interrompido é a dispensa de substâncias químicas como os hormônios. Por ser um anticoncepcional natural não prejudica a saúde;
  • É uma alternativa para mulheres que não podem ou não conseguem utilizar pílulas contraceptivas e outras formas de contracepção;
  • O coito interrompido não possui nenhuma interferência na intimidade do casal, como é o caso do preservativo;
  • É totalmente gratuito, não envolve valores financeiros;
  • O coito interrompido poder aliado ao uso da tabelinha para aumentar sua eficácia, funciona bem para mulheres com ciclo menstrual regular;
  • Aumenta a intimidade e entrosamento do casal, já que os dois se envolvem para evitar a gravidez;

coito-interrompido-funciona

Desvantagens

  • A pressão de tirar o pênis antes da ejaculação pode causar um estresse no homem e na mulher fazendo com que o desejo sexual diminua;
  • Possui mais chances de falha quando comparado com outros métodos;
  • O coito interrompido é um método muito mecânico, depende muito do parceiro para retirar o pênis na hora certa;
  • Não há prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis;
  • Os cuidados com as secreções no pênis após a relação sexual devem ser redobradas em caso de nova penetração;
  • Pode ocorrer da mulher não conseguir alcançar o orgasmo antes do coito interrompido e precisar de novos estímulos para isso;
  • Deve ser aliado a tabelinha para aumentar o nível de eficácia, ou seja, mulheres que não possuem ciclo menstrual regulado, não podem usar esse método;

Pesquisas sobre o coito interrompido

A polêmica que ronda o coito interrompido é porque esse não é um método eficaz para todas as pessoas. Sozinho ele pode não funcionar, mas aliado a tabelinha possuem uma grande eficácia.

Entretanto, para fazer uso desse método, é necessário disciplina do casal, especialmente da mulher no controle do período fértil, e do homem, a responsabilidade de tirar na hora de ejacular.

Pesquisas elaboradas por especialistas afirmam que se o coito interrompido for utilizado de forma correta pode ser muito eficiente.  A intenção desses estudos é informar a população que esse método não pode ser desprezado totalmente.

Além disso, existe uma polêmica não comprovada que o líquido que lubrifica o pênis possui espermas, e ainda não existem estudos que comprovem isso. É claro, que ele possui mais chances de engravidar do que as pílulas, preservativos, DIU ou qualquer outro método, no entanto, é uma opção que dá certo em alguns casos.

Opiniões divergentes existem. Há muitas mulheres que engravidaram utilizando o coito interrompido, enquanto que existem outras que utilizam o método há anos com sucesso. O que prevalece é a escolha da melhor forma de se prevenir baseada nas experiências individuais de cada pessoa.

Se a mulher não se sentir segura e não souber usar a tabelinha, é melhor evitar o coito interrompido, pois certamente haverá mais chances de engravidar. Procure um ginecologista e peça orientação de um método contraceptivo indicado para o seu estilo de vida e suas condições de saúde.

Imagens-        mulhermagnetica.com.br           altoastral.com.br

Outros Assuntos:

[pt_view id="3d29484fdi"]

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


3 + 19 =